Subscreve as novidades

A Ponte. O Ponto - Samhain



E assim chega mais um ano ao fim (para quem é pagão). Hoje o véu entre os mundos levanta-se, e assim, para quem quiser abrir o olho esquerdo do sentir, podemos Ver-i-Ficar o trajeto passado e o trajeto futuro.
Não como uma linha do tempo, mas como um ponto de manifestação no aqui e no Agora. Nesse ponto se juntam presente, passado, futuro... num só, num Todo!



Neste ponto vemos Todos os medos saídos da toca de Coelho, Todas as mordidelas de Cobra, Todas as curas de Sapo,  Todos os trotes de Cavalo, Todo o sentir de Urso, que hoje, mais que nunca, entra na sua caverna.


Neste pequeno ponto, na chama bruxeleante de uma vela, adivinhemos pelo futuro, como Lagarto quieto à sombra, cantando como Baleia, dançando como Cisne e com a integridade de Gralha, para lá do Bem e do Mal.

Banhemo-nos no sentir de um ansião, entre as asas de Morcego, na sombra de Pantera olhos de lua... para encontrar o sol da Águia do nosso coração, trasmutada pelo violeta do horizonte de uma nova aurora, como Fénix renascida das cinzas.
Hoje, sempre, Agora é o ponto de manifestação... a ponte entre os mundos.
AHO! Que assim seja!



Cavalguemos pelos céus!
Feliz Samhain a todos!
Enviar um comentário